terça-feira, 28 de setembro de 2010

CÉU DA MINHA TERRA

Ai, quando eu vejo a mata,o rio, um pé de serra
Na tela triste e fria da televisão
Me dá um aperto, um frio dentro do meu peito
Que não tem jeito, atinge fundo o coração

O céu de lá carrega a vida de alegria
Um céu que em outras terras não encontrarei
De tanta luz, de tanta cor, tanta magia
Bendita terra, um dia desses voltarei

Mãe terra, ó terra mãe querida
Sem ti, de dor será meu fim
Se um dia, ó mãe fores ferida
Sagrada mãe, chame por mim

Se alguém me diz que estás sofrendo
Sofro também, mas não reclamo
Não faz sentido estar sorrindo
Enquanto chora quem eu amo

À noite, olhando para o céu
Cinzento, aqui, nesta cidade
Mais breve fica meu retorno
Mais forte bate a saudade

Mãe terra, ó terra mãe querida
Sem ti de dor será meu fim
Se um dia, ó mãe fores ferida
Sagrada mãe, chame por mim

VFC

Um comentário:

Duo RJ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.